Se você já nos acompanha ou leu alguns posts anteriores sabe que passamos boa parte desses últimos 6 meses morando em um studio (quarto/cozinha/banheiro) no centro da Auckland. O contrato que fechamos pelo studio era de 6 meses e já estava chegando ao fim, então era hora de decidir se ficaríamos mais 6 meses ali ou procuraríamos um novo lar. Bom, pelo título do post 🙈 spoiler alert 🙉 você já deve imaginar qual foi a decisão.

Sim, decidimos procurar um novo teto e vamos contar como foi o processo. Primeiramente, vamos aos principais motivos que nos fizeram decidir sair do nosso studio.

1 – Custo de vida no centro: viver no centro tem suas vantagens, é perto da nossa escola, das principais estações de trem e de ônibus, restaurantes e parques. Mas tudo isso tem um preco. E no nosso caso o preço veio em forma de conta de energia e de água/gás. Além do nosso aluguel de $340 por semana (na verdade era $390 mas alugavamos nossa garagem por $50), pagávamos mensalmente em torno de $100 de energia e $80 de água/gás, sem contar os $75 de internet. Pesquisamos um pouco e concluimos que poderiamos pagar o mesmo valor de aluguel com todas essas despesas inclusas.

2 – Estilo de vida: somos de São Paulo e sabemos como é morar numa grande cidade. Quando escolhemos vir pra Nova Zelândia tínhamos como objetivo principal deixar pra trás a correria da cidade grande. Por mais que Auckland seja a maior cidade da Nova Zelandia, existem muitos bairros residenciais tranquilos, sem prédios, casas sem portões e bastante verde. Diferentemente do centro, que é como qualquer centro de cidade grande, com muitos prédios, muita gente, e pouca convivência com o inglês nativo. Como diria a Stella, “nada a ver”!

3 – Nosso carro, a Ravinha: decidimos comprar um carro pra faciliar nossa vida por aqui. O transporte público, apesar de eficiente, ainda é bastante limitado e chegar em alguns lugares pode custar horas do seu dia se você depender apenas de trem e ônibus. Com a compra do carro perderíamos a receita do aluguel da nossa vaga, o que acrescentaria $200 mensais nas nossas depesas.

Quando iniciamos nossa procura pela nova casa, consideramos as seguintes opções: encontrar uma unit como eles chamam aqui, que nada mais é do que um puxadinho espaço auto-sustentável (com banheiro e cozinha próprios) dentro de uma outra casa, ou dividir a casa com outras pessoas, algo que é muito comum por aqui já que geralmente as casas são bem grandes e as famílias nem tanto.

Optamos por procurar uma casa para dividir, porquê depois de 6 meses morando num “quarto” queríamos mais espaço. Além disso, acreditamos que a convivência com outras pessoas podia ser bom pro nosso inglês e pra ampliar nosso “network”. Usamos basicamente o TradeMe pra procurar as casas, ja que eles tem uma sessao especialmente pra esse tipo de moradia, o Flatmates Wanted. Nosso critério de seleção foi o seguinte:

  • Preço: entre $300 e $400 com as contas inclusas.
  • Localização: próxima ao trabalho de um de nós dois.
  • Língua: inglês como língua oficial da casa, de preferência nativo.
  • Privacidade: banheiro exclusivo ou bom espaco privativo.

A primeira casa que nos interessamos, um anúncio de uma família do tipo “comercial de margarina”, nem chegamos a visitar. Chegamos tarde, logo que entrei em contato fui informado que havia uma pessoa interessada e me avisariam caso ela desistisse. Não aconteceu.

Visitamos também uma casa em Takapuna, vista pro lago, porém antiga, um pouco mal cuidada e que não atendia nossa exigência em relação a língua, já que a dona/locatária era chinesa.

Depois disso visitamos 2 casas na região de Glenfield/Hillcrest, bem próximas ao meu trabalho. Gostamos das duas, os preços eram similares e estava bem difícil de decidir. No entanto, mais uma vez chegamos tarde em uma delas e outra pessoa que já tinha visitado decidiu ficar com a suíte, o que facilitou nossa escolha pela outra casa.

Nossas visitas foram sempre bem rápidas. Rolava aquele tour básico pelas instalações, falávamos do preço e conversávamos um pouco pra mostrar o quanto somos legais e seríamos ótimos flatmates 😇. Brincadeiras a parte, sempre procurávamos conversar pra saber se rolava alguma empatia logo de cara, afinal ninguém quer viver numa casa com pessoas que não tem o mínimo em comum.

Pra fazer a mudanca usamos a Ravinha. Como deu pra ver no vídeo, usamos mesmo! Foram 3 viagens pra conseguir levar tudo do studio pra casa nova. Não parece mas em 6 meses acumulamos algumas coisas como utensílios de cozinha, uma mesa dobrável, caixas, uma bike, uma estante… fora tudo que trouxemos do Brasil.

Essa é a nossa segunda semana morando na casa nova e estamos curtindo bastante. Nosso quarto é bem privado, temos bastante espaço e os donos da casa são ótimos, um casal (kiwi/americana) bem tranquilo e sociável. Também mora na casa um outro rapaz americano, parente da dona, que tem os horários tão diferentes dos nossos que só nos encontramos 2 vezes! A vizinhança é bastante verde e continuamos tendo tudo por perto (mercados, lojas, trabalho… eu ouvi fabrica de sorvete 🍦?). Agora a Stella vai de carro pro trabalho e eu vou de bike ou a pé. Continuamos cozinhando e fazendo tudo que fazíamos no nosso antigo studio, porém numa casa muito mais equipada e com muito mais espaço. Pagamos $330 por semana com todas as despesas inclusas, o que irá nos gerar uma economia mensal de aproximadamente $300.

E viveram felizes para sempre…. (calma, ainda não)

Quer saber mais sobre moradia na NZ, clique AQUI!