11 curiosidades sobre dirigir na Nova Zelândia

Sempre me perguntei como seria dirigir na mão inglesa. Sempre tive a leve sensação de que eu não conseguiria, aquele medo de entrar na contra-mão, saca? Mas pra tudo existe uma primeira vez, e enfim tive minha primeira experiência na mão inglesa, aqui na Nova Zelândia.

Continue Lendo “11 curiosidades sobre dirigir na Nova Zelândia”

ANZAC Day

No dia 25 de Abril fomos prestigiar o evento oficial aqui em Auckland em homenagem ao ANZAC Day.

ANZAC significa Austrália e New Zealand Army Corps e o ANZAC Day a principio é o dia para lembrar a batalha de Gallipoli (Turquia) na primeira Guerra Mundial, em que dezenas de milhares de soldados do ANZAC perderam as suas vidas na tentativa de conquistar Constantinopla (atual Istambul), a capital do Império Otomano, aliado da Alemanha naquele período.
As forças de Austrália e Nova Zelândia pousaram em Gallipoli em 25 de Abril de 1915, encontrando forte resistência por parte dos defensores turcos otomanos. A campanha se arrastou por oito meses. No final de 1915, as forças aliadas evacuaram, depois que ambos os lados sofreram pesadas perdas e suportaram grandes dificuldades. Mais de 8.000 soldados australianos e 3.000 neozelandeses foram mortos.

Curiosidade: A Nova Zelândia foi o país que enviou mais homens per capita para lutar na primeira Guerra Mundial. Mais do que qualquer outra nação!

Após a Segunda Guerra Mundial o Anzac Day tornou-se o dia oficial em que as nações australianas e neozelandesas lembram o sacrifício daqueles que morreram nas duas guerras e em todas as operações militares.

A celebração de 2016 deu inicio na sexta-feira, dia 22 de Abril com a projeção na parte externa do Museu de uma seleção de imagens do período de guerra além de um clipe de um projeto que reuniu descendentes das forças opostas em solidariedade musical sobre os locais onde seus avós e bisavós lutaram há um século.

IMG_4344
Puppy projetada na parede do Auckland Museum

No dia 25 de Abril as aconteceram diversas celebrações mas as duas cerimonias mais importantes foram o que eles chamam de Dawn Service que acontece as 6 am e a Civic Service que começa as 10:30 am. Nós conseguimos assistir toda a emocionante cerimonia da Civic Service, com direito a marcha dos veteranos de guerra com suas famílias e uma demonstração da Força Aérea Real da Nova Zelândia.

IMG_4383

Não deixe de curtir e se inscrever no canal do Nosso Mundo Novo no youtube para acompanhar novos takes neozelandeses !!!

Procurando um lar em Auckland

Uma das maiores preocupações de quem está mudando de país é a moradia. Mas como encontrar um lar em uma cidade que você mal conhece? Qual a melhor localização? Onde procurar? O que precisa para alugar? Quanto custa?

Calma que o NMN vai responder essas e outras perguntas, baseado em nossas próprias experiências!

Continue Lendo “Procurando um lar em Auckland”

Visitando o Museu de Auckland

Nosso Mundo Novo também é cultura!!! Visitamos o museu de Auckland e vamos contar tudo pra vocês.

O Auckland War Memorial Museum, ou simplesmente Auckland Museum, foi construído no topo de um vulcão adormecido (mais um) no Auckland Domain, o maior e mais importante parque da cidade, bem próximo do centro.

IMG_4115
Auckland War Memorial Museum

O museu é considerado um dos mais importantes memoriais de guerras da Nova Zelândia, destacando a participação dos neozelandeses na Primeira e Segunda Guerra Mundial. Você também encontrará muitas galerias de arte e artefatos Maoris e das Ilhas do Pacífico. Um dos pontos altos do passeio é a galeria dedicada aos vulcões da Nova Zelândia, com direito até a um simulador que detalha os efeitos de uma possível erupção na baía de Auckland.

Além das atrações permanentes, o Auckland Museum também oferece exposições temporárias. Atualmente, uma interativa exposição em homenagem aos 75 anos da Air New Zealand ocupa uma das principais galerias do museu, com destaque para o incrível simulador de realidade virtual. Do lado de fora e totalmente grátis, você ainda pode entrar dentro do cockpit de um boing 737.

IMG_4057
Apertem os cintos!

Mas e o preço, será que vale a pena? A entrada para adultos custa 25 nzd, residentes não pagam desde que sejam portadores do cartão “mymuseum” (mais informações aqui). O preço para visitantes não é barato, porém se você curte esse tipo de passeio vale a pena sim. Além de visitar o museu, aproveite para dar um passeio pelo Domain e aproveite a linda vista do alto do parque.

O museu abre diariamente das 10am as 5pm. Não deixe de visitar o site do museu para conferir todas as atrações disponíveis! E assine nosso canal no YouTube!!!

Mais fotos:

Mount Eden – Auckland

Nosso primeiro passeio turístico em Auckland foi um lugar que está em todas as listas sobre “o que fazer em Auckland”e que para nós estava muito favorável de conhecermos.

Era nosso primeiro fim de semana livre e estávamos hospedados em um Airbnb em Grafton (recomendamos muito!), com duas bikes a nossa disposição. Num dia bem maravilhosinho de Outono com sol + vento frio pegamos as bikes e seguimos até o Mount Eden (2.3 km) .

16 Burton St, Grafton, Auckland 1023 to Mount Eden Domain - Google Maps

Mount Eden (leia “Iden”) é o vulcão mais alto de Auckland, com 196m de altura. A cratera tem 50 metros de profundidade e o acesso pode ser feito a pé ou de bike. Apesar do vulcão estar inativo, não deixa de ser impressionante. O caminho é cansativo porém vale cada suor (não esqueça de levar sua garrafinha de água), e de brinde você ainda ganha uma vista 360 da cidade de Auckland.

12885819_10208379810269762_3031121271005330620_o
Vista de Auckland a partir do topo do Mount Eden

Dica NMN:  Passe no Wok N Noodle Bar na 61 Normanby Road, peça um takeaway e leve para o Mt Eden para comer assistindo ao por do sol. Ou se preferir, leve sua própria comida.

Não esqueça de assinar nosso canal no YouTube!

Malas, despedidas e a viagem de ida

Então é isso. Depois de todo o planejamento, todas as pesquisas, todos os sacrifícios para guardar dinheiro, eis que a tão esperada semana da viagem chegou. E nós do NMN resolvemos contar pra vocês como foi nossa última semana em terras brasileiras, as precauções com nossos compromissos no Brasil, como fizemos nossas malas, e como foi nossa viagem de ida de São Paulo até Auckland!

 

Hora de dizer até breve!

Resolvendo nossa vida no Brasil

Pra começar a preparar nossa saída do país, fizemos um check-list de todas nossas obrigações e compromissos no Brasil. Coisas que teríamos que resolver antes de embarcar para NZ, como por exemplo:

  • fazer um procuração dando poderes à nossas mães para resolver questões econômicas;
  • fechar conta em banco;
  • transformar celulares em pré-pago (se cancelar a linha, você perde o número) ;
  • consertar computadores e câmeras;
  • vender coisas que não usaríamos mais

Enfim… todos temos nossas responsabilidades e compromissos, e fazer uma lista de tudo que precisa ser resolvido ajuda muito a se organizar e não deixar nada pra trás, e quanto antes você começar a pensar nisso mais fácil vai ser. A última coisa que você quer é um problema pra resolver no Brasil quando você estiver longe, não é mesmo?

Fazendo as malas

Por mais que você se antecipe, algumas coisas vão acabar ficando para os últimos dias. Nós começamos a fazer as malas há 3 dias da viagem. Como pensamos em ficar no mínimo 1 ano por aqui sem voltar para o Brasil, trouxemos praticamente TUDO que podíamos. Fique ligado nas regras da cia aérea. Nossa passagem permitia 2 malas de 32kg por passageiro, mais as bagagens de mão. Nossas malas ficaram quase todas perto desse limite, e ainda embarcamos na mão com mais uma mala pequena, 2 mochilas e um violão (UFA…).

IMG-20160328-WA0010
Nossa vida resumida em 7 malas e 1 violão

Logicamente, todo nosso armário não coube nas malas, então aproveitamos para fazer aquela limpa necessária nas nossas coisas. Foram muitas malas e sacolas para doação.

IMG-20160328-WA0018
Mala DELE
IMG-20160328-WA0016
Mala DELA
IMG-20160328-WA0015
Parte do que foi para doação

Algumas dicas para organizar suas malas:

  • Dobre as camisetas e roupas de tecido leve em rolinhos
  • Calças e camisas desse jeito
  • Meias, cintos, e roupas íntimas enroladas num saquinho dentro dos tênis
  • Usamos algumas embalagens à vácuo para guardar algumas roupas mais “fofas”
  • Lembre de levar uma troca de roupa na bagagem de mão
  • Líquidos acima de 100ml devem ser despachados (lembre-se de lacrá-los para evitar vasamentos)

Algumas outras dicas e ítens que trouxemos:

  • Instrumentos musicais: um violão e um ukelele (dentro da mochila) como bagagem de mão. Violões, guitarras e etc são permitidos desde que não estejam em case rígida
  • Eletrônicos: uma caixa de som bluetooth e 2 notebooks dentro da mochila de mão (lembrando que aqui na NZ as tomadas são 220v)
  • Skate, pranchas e equipamentos de esporte grandes devem ser despachados e pagos como bagagem excedida. Porém se seu skate couber na mala, manda ver. O meu coube!
  • Documentos, dinheiro, vistos e comprovante guardados em uma pasta e dentro da mochila

DICA NMN: Embalamos nossas malas com plástico filme antes de despachar. Compramos um rolo de 300m e fizemos em casa mesmo (no aeroporto de Guarulhos estão cobrando 60 reais por mala). Também compramos plástico bolha para embalar ítens mais frágeis.

IMG-20160328-WA0014
Malas embaladas com plástico filme

A viagem de ida, imigração e chegada

Tudo preparado, hora de encarar as muitas horas de vôo de São Paulo até Auckland. Voamos de TAM/LAN com escala em Santiago. O primeiro vôo foi em um avião menor, mais antigo, sem entretenimento a bordo, portanto lembre-se de ter um celular ou um notebook carregado e com músicas e filmes para te distrair durante as 4 horas de vôo. Tentamos não dormir e guardar o sono para a segunda parte da viagem. No serviço de bordo foi servido somente um lanche + frutas. Chegando no Chile teríamos que aguardar cerca de 3 horas para embarcar para Auckland, mas houve um atraso de +3 horas. Por sorte, a cia é obrigada a fornecer alimentação e o aeroporto de Santiago tem algumas boas opções, além de cadeiras confortáveis para descansar.

IMG-20160328-WA0009
Voucher de alimentação da LAN

Passada a espera, embarcamos para Auckland em um avião muito maior e mais moderno, com entretenimento a bordo para todos os gostos! De Santiago a Auckland são 13 horas de vôo, foram servidas 2 refeições (jantar e café da manhã) e voamos quase sempre a noite.

IMG-20160328-WA0011
Entretenimento a bordo no vôo da LAN

Imigração

A chegada em Auckland foi muito tranquila. Desembarcamos por volta das 8hs da manhã e passamos pela imigração sem muita demora. Apresentamos somente nossos passaportes e os vistos, e não nos pediram nenhuma informação nem documento adicional. Na verdade não perguntaram absolutamente NADA!

Saindo do aeroporto

Assim que pegamos nossas malas saímos para o saguão do aeroporto. Ali mesmo já é possível comprar um chip para o celular na Vodafone ou na Spark. Optamos por uma promoção de Páscoa na Vodafone: 39 nzd por 3gb de dados, 200 min de ligações locais e 200 msg de txt (sim aqui eles ainda usam).

Devidamente conectados, precisávamos ir do aeroporto até nosso apto em Grafton (bairro perto da City). Para quem chega com muitas malas como nós, a melhor opção é o Super Shuttle, uma van que te leva por um preço fixo (43 nzd por casal) até a porta da sua casa.

E esse foi só o início das nossas descobertas aqui em Auckland. Fiquem ligados no blog, na nossa página do Facebook, e no nosso instagram @nossomundonovo para mais novidades direto da NZ!

DCIM100GOPRO

Contratar ou não uma agência ?

Olá amigos, ficamos bastante feliz e surpresos com todas as mensagens que recebemos com a noticia da nossa mudança. Faz toda diferença quando você tem pessoas mandando energias positivas e torcendo por você. Legal também saber que tem bastante gente que só precisa de um empurrãozinho pra tomar uma decisão e que somos considerados inspiradores. Tudo isso nos da uma satisfação enorme em mantermos o blog.

Uma das primeiras perguntas que nos fazem hoje referente a mudança é “Vocês fecharam com qual agência ?”

Continue Lendo “Contratar ou não uma agência ?”

Mudança de planos

Você já pensou em ir embora do Brasil?

Ultimamente esse tem sido um desejo bem comum entre os brasileiros, pelo menos entre os que fazem parte do nosso convívio social. Não são apenas os jovens, mas pessoas com carreiras estáveis e de sucesso já manifestaram interesse em deixar a pátria mãe em busca de uma vida melhor.

Mas e aí? O que fazer com essa vontade? “Fazer uma grande mudança é bem assustador.
Mas sabe o que é mais assustador? Não mudar nunca”. 

Bom meus caros.. Nós acreditamos em 2 opções: suprimir esse desejo e mergulhar de cabeça no dia a dia, fazer de conta que vivemos em um país justo, e conformar-se que algumas coisas nunca irão mudar no país; ou alimentar essa vontade de se mandar, pesquisar sobre as oportunidades e planejar sua “rota de fuga”.

Nós do NMN também passamos por esse momento de questionamento ~ “o que ainda estamos fazendo aqui?” ~ após uma viagem de férias para a California e então acabamos optando pela segunda opção. Nós basicamente resolvemos tirar nosso sonho do papel e transforma-lo em realidade. Oficialmente, deixamos o Brasil em Março de 2016, rumo a Nova Zelândia, cheios de esperança e em busca de um futuro diferente.

nz_travel

Sempre admiramos casais que largaram tudo e caíram no mundo. Que coragem! Ficamos acompanhando pelas redes sociais as aventuras, os lugares por onde passaram, o quanto aprenderam viajando pelo mundo todo. E nós poderíamos seguir esses exemplos e planejar uma volta ao mundo, mas essa não foi nossa escolha. Acreditamos que pelo momento que estamos vivendo como casal, precisávamos de algo mais definitivo, menos nômade, sabe? E foi assim que começamos a planejar esse passo tão importante.

Por que escolhemos a Nova Zelândia?

Essa é a parte fácil da história.
Depois que decidimos levar a sério nossa ideia de se mudar, passamos a pesquisar sobre alguns países, levando em consideração algumas características como: permissão de trabalho para estudantes, oportunidade de emprego na nossa área, facilidade de adaptação, clima, idioma, moeda (câmbio), e possibilidade de permanência com visto de residente (não queremos ser estudantes pelo resto da vida, rs).
Durante nossa pesquisa passamos por Canadá e Austrália, quase tendo decidido por esse último, quando nós acabamos nos encantando pela Nova Zelândia. Essa antiga colônia britânica, última porção de terra a ser descoberta no mundo, um país atraente e receptivo para turistas e imigrantes, com paisagens de tirar o fôlego e com uma comunidade brasileira considerável.
Quase sem perceber, já tínhamos tomado nossa decisão. #partiuAuckland

na_devonport_auckland

A Stella, que é uma stalker de primeira, em poucos dias conhecia Auckland como se já estivesse morando lá. Tinha feito contatos com brasileiros, moradores da Nova Zelândia , sabia nomes de ruas, bairros, escolas, pesquisou todos os blogs, facebook, posts e reportagens.

Eu (Gustavo) tenho uma certa obsessão por planejamento, e fico MUITO feliz quando as coisas saem do jeito que planejei. Então tratei de criar uma planilha com tudo que precisaríamos fazer para colocar nosso objetivo em prática.
Previsão de gastos, economia de dinheiro, nossos bens, e nossa vida toda resumida em números…

Nós entraremos no país com visto de estudante para o período de 1 ano, tendo direito a trabalhar 20 horas semanais, o que pra nós é fundamental para pagar nossas despesas na NZ, já que de acordo com o nosso plano, levaremos grana suficiente para nos mantermos pelos 3 primeiros meses (NZD$1250 cada um, por mês).

Falando em dinheiro, obviamente fizemos o planejamento financeiro o mais detalhado que conseguimos para tornar nosso objetivo possível (falaremos mais sobre nossas despesas em um outro post). “Aaaahh mais dá uma dica aííí… quanto vocês gastaram???”
Bom,  isso vai depender muito do curso, da escola que você escolher, do preço da passagem, de quanto está disposto a gastar com moradia… no nosso caso, posso adiantar que vendemos e vamos usar a grana dos nossos 2 carros.

Como temos um nível de inglês já ok, optamos por um curso de Diploma em Business – Level 7 (também falaremos mais sobre isso futuramente), o que nos possibilitará uma extensão de mais um ano no nosso visto com permissão para trabalho em período integral.
Falando sobre o domínio do inglês, nós voltamos a estudar desde a metade de 2015, pois tínhamos que passar em uma prova de proficiência para sermos aceitos neste curso de diploma, além, é claro, de nos deixar mais confiantes para a mudança. A princípio também não queremos nos limitar a empregos na área da limpeza ou construção e sim ir atrás dos empregos que possam exigir mais domínio e desenvoltura com a língua inglesa.

“Ah mas parece tudo tããão fácil!”
Engano seu… Foi uma escolha muito difícil, levando em conta que temos bons empregos e uma vida bastante estável no Brasil.
Semana passada fez 1 ano que começamos a morar juntos, e teremos que deixar para alugar nosso apêzinho que montamos do nosso jeito (leia-se também “gastamos uma grana”). Além disso, sofremos uma grande pressão da família, por estarmos indo para um lugar tãão longe! É claro que temos consciência que sofreremos de saudade da família e dos amigos, mas como diz o ditado “cada escolha uma renúncia”.
Maasss, não falaremos ainda sobre os prós e contras. Deixaremos que a nossa experiência nos diga se acertamos ou erramos na escolha, e daqui a alguns meses voltamos a discutir o assunto.

Por enquanto…

Acompanhem nossos próximos passos, torçam por nós e se apaixonem com as imagens a seguir que ainda não são nossas! 😁

 

 

Leia tambem:
Malas, despedidas e viagem de ida