Visto de Residência na Nova Zelândia

Há cerca de 3 anos atrás, lá em meados de 2015, tomamos uma decisão que mudaria nossas vidas pra sempre.

Viajar e conhecer novas culturas sempre esteve presente na nossa relação, mas nunca havíamos considerado mudar de país em definitivo. Até que resolvemos tirar alguns sonhos do papel e arriscar. Decidir pela Nova Zelândia foi a parte mais fácil do processo, como contamos um pouco melhor neste post aqui. E foi assim que nasceu o projeto NOSSO MUNDO NOVO.

james-coleman-513270-unsplash

Antes de mais nada, algumas informações mais técnicas sobre o assunto. A Nova Zelândia utiliza um sistema de pontos para definir se o candidato é elegível a aplicar para o visto de residente através da Skilled Migrant Category, categoria mais comum para os vistos de residência no país. É possível simular sua pontuação através de uma calculadora do próprio site da imigração. Dá uma olhada nesse link.

O caminho que escolhemos para atingir a pontuação necessária para o nosso caso foi através de um curso de Diploma Level 7, pois sabíamos que através das regras da imigração, naquele momento, nos daria pontuação suficiente para aplicar desde que um de nós conseguíssemos uma oferta de trabalho que atendesse os requisitos desse visto. Não tenha medo das regras! Durante o nosso processo, as regras para este visto foram alteradas 4 (QUATRO!) vezes e todas elas foram mudanças que dificultaram mais o processo. Todas as informações atualizadas para a aplicação do visto de residência e todos os outros vistos estão disponíveis no site da imigração na Nova Zelândia, que por sinal é excelente! Mas você também pode consultar uma empresa especializada no assunto, como a Kiwi Education, por exemplo 🙂

immigration NZ

Muita gente nos pergunta “qual o segredo” pra conseguir a residência. A resposta é bem simples: não tem segredo! Não existe atalho, nem jeitinho. Está tudo lá no site da imigração, as regras, as exigências, tudo o que você precisa saber pra planejar seus passos.

Outra pergunta comum é se usamos algum Immigration Adviser (advogado especializado em imigração). Nós optamos por não utilizar os serviços de um adviser e fizemos todo o processo por conta própria. Nós lemos muito e entendemos que as informações fornecidas pelo site da imigração eram bastante claras. Eles disponibilizam guias com todas as informações necessárias para o processo de aplicação e nós consideramos nosso caso bem simples, pois tínhamos todos os documentos solicitados para as comprovações necessárias. Também consideramos que ter contato direto com os agentes da imigração seria importante e agilizaria o processo, o que acabou se provando verdade no nosso caso, e todos os nossos contatos e dúvidas foram tiradas diretamente com a imigração.

De qualquer forma, nossa recomendação é que você faça do jeito que se sentir mais seguro, até porque cada caso é um caso e tem suas particularidades. Então se você julga importante ter o suporte de um profissional para a aplicação, vai fundo!

Voltando ao NOSSO MUNDO NOVO, no início nosso objetivo era apenas registrar nossos passos nesse projeto e quem sabe inspirar outras pessoas a buscar seus sonhos. Não tínhamos como saber se o plano que traçamos daria certo, mas mesmo assim estávamos aqui contando nossa vida e tentando ajudar quem um dia também teve esse mesmo sonho. Não foi sorte, não foi jeitinho! Foi planejamento, persistência e foco no nosso objetivo.

E por falar em objetivo, tenha um OBJETIVO!

Sério. Mais do que acreditar nos seus sonhos… tenha um objetivo!
Não importa qual, se grande, pequeno…. tenha qualquer objetivo e que ele seja seu, e não o que os outros querem que você tenha. Ele vai te fazer crescer, te desafiar, te tirar da sua zona de conforto….

Daí você planeja tudo que você precisa para alcançá-lo (faz direitinho essa parte aqui!)… e foca nisso! Mas foca MESMO, porque muita coisa vai acontecer para te tirar do SEU caminho. Você terá que fazer escolhas difíceis, abrir mão de algumas coisas e guardar algumas outras só no coração. Vão ter momentos que você irá duvidar de você mesmo e diversos outros que poderão fazer você desistir.

Mas você vai conseguir! Eu te garanto!
Porque nós, de verdade, não acreditávamos… mas se você não desistir, você vai conseguir. Se for realmente o seu objetivo, você vai conseguir!

E aí, quando você chegar lá…. M-E-U-D-E-U-S!
É uma sensação de felicidade, a de alegria, de satisfação, de gratidão, de alívio e uma coisa que mistura um pouco de tudo isso e que quanto maior for o desafio, maior é essa sensação de “EU CONSEGUI”!

Nós Conseguimos! NOSSO MUNDO NOVO!

Há exatamente 2 anos 3 meses atrás nós embarcarmos para a Nova Zelândia com um objetivo.

A gente poderia fazer um textão com os momentos tristes e felizes que passamos pra chegar aqui, os desafios que vencemos… MAS quem não está passando por esse processo, talvez não entenda o peso desse dia, e quem decidiu passar por isso, também está enfrentando as suas próprias batalhas…

Então, apenas tenham objetivo e não desistam!

Um abraço,
dos novos RESIDENTES da Nova Zelândia! ❤🇳🇿

Approve

Tento Media… éééé do BraZiiiil !

Desde o início do nosso projeto de imigração para a Nova Zelândia a gente acredita que PlanejamentoPreparação são passos essenciais para conseguir realizar esse projeto de vida tão importante. Infelizmente não é incomum vermos por aí (nos grupos do facebook, principalmente) muita “história triste” ou pessoas colocando o terror sobre a vida na Nova Zelândia. Porém, é só ir um pouco mais fundo no desenrolar da história que fica fácil de entender o verdadeiro porquê de não ter dado certo para algumas pessoas.

Particularmente, a gente acredita muito que a afirmação “você atrai o que transmite” é bem verdadeira, e atualmente criamos um círculo de amigos aqui na Nova Zelândia muito bacana os quais estamos todos no “mesmo barco”. A gente troca experiências, a gente se ajuda, se aconselha, e todos estão conseguindo alcançar seus objetivos.

13529190_10155005840314832_3427519394467275755_n.jpg

O Felipe e a Mari são dois brasileiros que cruzaram o nosso caminho por aqui. Eles vieram do Rio de Janeiro (vascaíno, coitado!) e assim como a gente, já tinham viajado para alguns lugares no mundo e estavam cansados de ver e viver as injustiças e insegurança no Brasil.

Nós nos conhecemos aqui , através de um casal de amigos em comum, já que eles escolheram morar em New Plymouth, uma cidade que fica na região de Taranaki, há 5hs de carro de Auckland. Sim, existe vida fora de Auckland!

A Mari se formou em Oceanografia, participou do programa Erasmus Mundus em alguns países da Europa como Portugal, Dinamarca e Espanha e em 2015 eles decidiram vir descobrir a Nova Zelândia. A Mari veio estudar um Diploma de Graduação – Level 7 em Gerenciamento de Projetos e o Felipe , veio com um curso de inglês durante o programa de estudos dela. Quando ela concluíu o curso e aplicou para o Post Study Work Visa, o Felipe pode aplicar para o visto de Partner e então ter direito a trabalhar full time no país.

O Felipe é o cara cheio das ideias…
Ele é formado e sempre trabalhou com marketing e publicidade no Brasil e, aqui na Nova Zelândia, depois de passar por diferentes trabalhos, criou a TENTO MEDIA. Com o conhecimento que tinha e a paixão por filmagem, investiu em vários equipamentos e hoje tem a Tento Media como seu trabalho principal. Ele já fez diversos projetos como o video institucional da Kiwi Education, casamentos, vídeos para alguns negócios locais e até cobriu o Brazilian Day de 2018 🙂

Todo mundo merece ter amigos filmmakers (e com drone). Sério! Ter amigo filmmaker é ter excelentes imagens de viagens. O Felipe filmou nossa trip de ano novo para Oke Bay (Ilha Norte da Nova Zelândia) e claro, hoje é nosso parceiro aqui do blog 🙂

Se você quiser conhecer um pouco mais do trabalho dele e também da Nova Zelândia, segue ele nas redes sociais, tem muita imagem irada de diferentes lugares do país.

 

all blacks Taranaki
Jogo do All Blacks em Taranaki

Rangitoto Island – Auckland

A Rangitoto Island,  ilha nomeada pelo maior e mais jovem vulcão de Auckland está localizada no golfo de Hauraki, bem à frente de outra famosa ilha da região, Waiheke. O vulcão é provavelmente a formação mais famosa de Auckland pelo simples fato de estar presente no horizonte de praticamente todas as praias e montanhas da cidade. Continue Lendo “Rangitoto Island – Auckland”

Nova Zelândia com Visto de Turista

Com a vida minimamente estabelecida depois de alguns meses morando na Nova Zelândia, de alguma maneira a gente se considera pronto para receber visitas. Mesmo que você divida casa com outras pessoas, que você tenha que trabalhar enquanto a visita está por aqui, ou que você ainda nem conheça todos os lugares pra apresentar, você quer que de alguma maneira uma pessoa familiar conheça o seu Mundo Novo.

Logo no início é um pouco complicado, as preocupações e atividades são muito práticas: encontrar um lar, abrir uma conta no banco, fazer o cartão do onibus, o documento para poder trabalhar (IRD), encontrar o trabalho, ver o dinheiro indo embora. A nossa mudança foi planejada, nós sabíamos o que tínhamos que fazer, mas mesmo assim foi tenso! Porém, quando a vida entra um pouco mais no eixo e as condições externas ficam mais tranquilas, é o momento que você consegue avaliar internamente e emocionalmente como você está. Nessa hora, receber uma visitinha de um parente ou amigo dá um gás para seguir o plano.

Visto_negadoA Nova Zelândia não exige que brasileiros apliquem para um visto de visitante antes de embarcar para o país. Este visto é concedido quando a pessoa passa pelo agente de imigração assim que desembarca por aqui. Neste momento o agente de imigração tem o direito de negar a entrada da pessoa no país caso desconfie da real intenção.

Devido a crise que o Brasil está enfrentando, muitas pessoas tem arriscado vir para a Nova Zelândia para entrar com visto de turista e tentar a sorte de encontrar alguma oportunidade de emprego por aqui. Diáriamente vemos no facebook e recebemos muitas perguntas sobre vir como turista e se com visto de turista é facil de encontrar trabalho na Nova Zelândia. Nós queríamos aproveitar este post para responder essa pergunta por algumas perspectivas.

A primeira é falando sobre as leis da Nova Zelândia. Por aqui, a grande maioria dos empregadores respeitam todas as leis, incluíndo a de empregar pessoas que tenham direito a trabalhar e a de não fazer pagamentos por fora (o famoso “cash in hand”). Ou seja, como turista, de acordo com a lei, você não pode trabalhar, nem mesmo como voluntário.

Immigration-Logo-BLK-GREY-HORNós podemos falar também sobre os agentes de imigração. O departamento de imigração sabe o momento político e econômico que o Brasil está passando e sabe que o número de pessoas que está vindo para o país tem aumentado consideravelmente. Um agente de imigração é treinado para identificar a real intenção das pessoas que chegam no país e por isso, os brasileiros que estão tentando vir com esta intenção de ficar, estão tendo o visto negado e nem chegam a entrar no país, são obrigados a voltar no primeiro vôo de volta para o Brasil. Existe a grande chance também do agente liberar a entrada no país porém com um visto restrito, o qual dá o direito da pessoa ficar no país somente até uma data específica (geralmente 3 meses, ou até a data da passagem de volta apresentada) e após isso é obrigada a sair do país.

“Chegar lá e ver o que faz” não pode ser uma opção pra quem está planejando mudar de vida. E pra não deixar esse tópico muito longo, o terceiro ponto é o que NÓS consideramos correto. Se a sua intenção é migrar para o país, assim como foi a nossa, o mínimo que você deve estar fazendo agora é estar se planejando e vendo todas as possibilidades que se encaixam no seu perfil para você vir pra cá. Os planos imediatistas, nesses casos, geralmente tem maior chance de dar errado do que certo. A Nova Zelândia é um país que ainda está de portas abertas para imigrantes e por isso oferece DIVERSOS meios e tipos de visto para você vir (WHV, Estudante, Trabalho, Residência, SMC, Post-study visa…).  Se você toma a decisão de vir para “mudar de vida” e se arrisca vindo como turista para tenta encontrar uma oportunidade ou arrumar um trabalho ilegal, que tal você já mudar realmente de vida desde o passo 1, deixar o “jeitinho brasileiro” no Brasil e fazer as coisas certas?

Voltando para os “reais” turistas, nós já recebemos mãe e irmão aqui na Nova Zelândia e ambos não tiveram problemas para entrar no país, assim como os familiares e amigos de diversas pessoas que conhecemos aqui. Então, se você estã planejando vir somente como turista MESMO, não tenha medo. Temos ouvido pessoas dizerem que existe preconceito com brasileiros, ou que estão parando todos no aeroporto, e pra gente isso não passa de um ponto de vista de brasileiros que não estão acostumados com leis que realmente funcionam ….. e aqui elas funcionam!

Caso você esteja na Nova Zelândia e queira receber alguém, uma dica que nós podemos dar é para você preparar uma carta convite para a pessoa apresentar na imigração. Esta carta não é obrigatória, mas ajuda bastante tanto a pessoa que esta vindo e talvez não tenha o domínio do inglês, quanto o agente da imigração a entender a real intenção da visita.

A carta deve ser escrita em inglês pois será apresentada para o agente da imigração no momento em que a pessoa chegar ao aeroporto da Nova Zelândia. Ela pode ser feita no computador, porém é ideal que você imprima, assine e então envie o documento scanneado para a pessoa. Quanto mais informação tiver na carta, melhor. Além disso também é ideal anexar à carta as cópias de seus documentos e visto.

Exemplo de carta convite para imigração:

———————————————————————-

Letter of Invitation

New Zealand – DATA  (coloca 1 ou  2 dias antes do embarque)

For (nome da pessoa que irá te visitar)

Dear Sir/Ma’am,

(nome da pessoa que irá te visitar), holder of the brazilian passport number XXXXXXXX‏, who is my (brother/sister/mom/dad/ friend that I worked with for x years) has been invited by myself, (seu nome), to visit my home in (cidade)-New Zealand, where I have been living since (data que você chegou na NZ).

He/She does not speak English very well and the purpose of this letter is to help him with all the information you may need from him/her. He/She is coming to visit me as a tourist  and he/she will stay at my place (seu endereço). We are going to visit some places in New Zealand during this time as Queenstown and Rotorua (ou qualquer outros lugares que voces planejam visitar). He/She scheduled to stay for a short period as you can confirm on his/her returning ticket to Brazil on (data da passagem de volta ) flight (número do voo). I would like to highlight that (nome da pessoa que irá te visitar) can fully support himself financially while he/she will be here. 

Besides this letter, I am attaching copies of my documents which state my regular visa status in New Zealand. Also, I am available at any time if you have any other concern or enquiries. You can contact me at (phone) or (outro phone, se tiver).

Thank you in advance,
Sincerely,

Seu nome completo
Sua Assinatura

———————————————————————-

Esse é o modelo que usamos para nossos familiares e deu super certo, principalmente para deixá-los calmos para passar na imigração sem saber falar uma palavra de inglês. Você também pode usar este modelo, e o ideal é colocar a maior quantidade de informações possíveis e não falar nenhuma mentirinha.

O mais importante é que se você não faz a coisa errada você não precisa ter medo! Convide os parentes e amigos ou se você ainda não conhece a Nova Zelândia venha turistar nesse país que é lindo D-E-M-A-I-S!!! Quem sabe você não se apaixona e volta pra estudar, morar e ficar pra sempre ?!

 

bty
Essa é a felicidade de receber alguem no aeroporto depois de tanto tempo!

 

Alguns momentos de quando nossa familia ( irmão da Stella e mãe do Gustavo ) vieram nos visitar aqui na NZ 🙂

 

IELTS – Esteja preparado!

Se você sonha em realizar um curso superior fora do Brasil um dos primeiros requisitos pra você ser aprovado nas instituições de ensino é provar suas habilidades acadêmicas no inglês (no caso de escolher ir para um país de língua inglesa, óbvio!). Porém, não vá pensando que seu certificado de “super fluent advanced” da CCAA, Wizard, Wise Up vai te ajudar nesse momento. O que vale para as escolas e universidades é ter uma certificação internacional reconhecida (e as mais conhecidas são TOEFL, Cambridge e IELTS ).

O TOEFL é um certificado mais popular para os estudantes que desejam estudar nas universidade dos Estados Unidos. Já o IETLS tem crescido em reconhecimento internacional por ser aceito por mais de 8000 instituições de 135 países como Austrália, Canadá, Irlanda, Nova Zelândia, África do Sul e Reino Unido.

IELTS

Algumas instituições na Nova Zelândia têm autorização do governo para aplicar testes  internos de proficiência de inglês e aceitarem estudantes que não tenham o IELTS. Esses testes podem ser feitos online (você faz o teste ainda no BR, ou no país que você esteja) ou você pode fazer presencialmente. Porém, devido a diversos casos de fraudes, está cada vez mais difícil encontrar instituições que disponibilizam esses tipos de testes, especialmente online.

Existem dois tipos de exames de IELTS: o IELTS Geral e o IELTS Acadêmico. O Acadêmico geralmente só é exigido para ingressar em Universidades Públicas. Já o módulo Geral é exigido como requisito para obtenção do visto de residência na Nova Zelândia (além de Austrália e Canadá) bem como aceito na maioria das Instituições particulares e Politécnicas do país.

downloadQuando estávamos planejando vir para a Nova Zelândia nós não considerávamos prestar o IELTS e então  conseguimos encontrar uma instituição que na época aplicava o teste online. Porém, com as mudanças nos processos de imigração, um certificado de proficiência de inglês passou a ser item obrigatório para a aplicação e por conta disso nós prestamos o IELTS em Outubro de 2017. Yeees, We did it!! 

A primeira coisa que você precisa saber sobre este certificado é que não existe “aprovado x reprovado”. O resultado do exame vai te mostrar o seu nível de proficiência na lingua inglesa em quatro competências: compreensão, leitura, escrita e conversação. Você receberá uma nota para cada módulo e uma nota geral de todo o exame (média dos quatro módulos). Geralmente é exigido obter o mínimo de 6.0 de nota geral para cursar um Diploma Level 7 e no mínimo 6.5 para uma pós-graduação, MBA,  ou como requisito para o visto de residência do principal aplicante. Apesar de não ter validade, as instituições de ensino e a imigração geralmente exigem exames realizados há menos de dois anos.

O IELTS é um exame bem objetivo porém com DIVERSAS pegadinhas. Para ter sucesso na prova, mais do que ter domínio da língua inglesa, você precisa ter conhecimento e estar preparado para a estrutura da prova.
Na parte da compreensão e leitura você pode encontrar questões de diversos tipos como “preencher a lacuna”, ou “true/false/Not given” (e eles te confundem nessa aqui que é uma beleeeza), “alternativas” ou “interpretação de resumo de parágrafos”. Nestas duas sessões escrever corretamente as palavras é impressindível (incluíndo plural/singular). Além disso, é muito importante ler o enunciado das questões. Se o teste te pede para responder com até 2 palavras, se você colocar 3 palavras a resposa estará incorreta.

Estrutura da prova do IELTS

  • Listening (compreensão): nesta etapa você ouve quatro conversas e/ou monólogos e vai respondendo as 40 questões. Você só tem a chance de ouvir 1 (UMA) única vez o áudio. Se perder alguma questão não se desepere e não perca tempo tentando adivinhar, continue focado no áudio para não perder as próximas respostas. O tempo total dos audios é de 30 minutos e ao final você tem mais 10 minutos para transferir suas respostas para o formulário de respostas.  Nesta parte ovcê irá ouvir uma grande variedade de sotaques como o americano, o inglês britânico, o australiano e o neozelandês.
  • Reading (leitura): esta sessão é composta por 40 questões e o tempo é de 60 minutos. Aqui, dependendo do tipo do IELTS que você fizer (Acadêmico ou Geral), você terá diferentes tipos de textos. Para o IELTS Acadêmico, os textos são mais longos e acadêmicos, enquanto que no IELTS Geral são textos curtos, geralmente relacionados ao dia a dia. A dica para esta etapa é você entender como os modelos de questões funcionam para sua lógica de raciocínio, ou seja, você precisa entender se ler os textos antes ou depois das perguntas faz diferença no seu controle de tempo de prova. Este é um dos principais motivos pelos quais os simulados são tão importantes.
  • Writing (escrita): nesta etapa você terá 60 minutos para escrever 2 textos. Esta sessão também tem diferença entre o Acadêmico e o Geral. O IELTS Acadêmico pede para que você interprete as informações de um gráfico, diagrama ou tabela e o segundo texto é um artigo de pelo menos 250 palavras. No IELTS Geral, o seu primero texto será uma carta de no mínimo 150 palavras (formal ou informal) e o segundo texto também será um artigo de pelo menos 250 palavras. Os simulados te ajudam a ter ideia de quantas linhas você precisa escrever para dar a quantidade de palavras necessárias, assim você não perder tempo contando palavras na hora da prova (porque não da tempo MESMO). O ideal é utilizar 20 minutos para o primeiro texto e 40 minutos para o segundo texto. Os temas dos artigos e das carta seguem os mesmos modelos e muitas pessoas com inglês fluênte podem falhar nesta fase pois a avaliação desses textos envolve 4 aspectos, sendo um deles a estrutura do texto, por isso aprender a estrutura fará total diferença no seu resultado desta etapa. Outra dica é evitar contrações como don’t, isn’t, I’m, etc… Erros de grafia também são penalizados.
  • Speaking (conversação): dividido em 3 partes e por cerca de 15 minutos, esta é a única etapa do IELTS que é feita 1-1 (você e o examinador). Na primeira parte você responde sobre assuntos pessoais como trabalho, família e coisas do dia a dia. A segunda  parte você recebe um cartão com um assunto específico e você tem 1 minuto para se preparar e 2 minutos para falar sobre o tema (sim, cronometrado). O ideal é que você fale durante os 2 minutos, então quando pensar no tema, pense em detalhes que você pode contar, e uma tente dar uma “floreada” nas situações. Na terceira parte você responde algumas perguntas relacionadas ao tema abordado na parte 2. A principal dica para esta sessão é MANTENHA A CALMA! Você não precisa falar rápido para demonstrar fluência, mas você também não pode ficar gagejando caso não saiba ou não se lembre de uma palavra. Evite gírias e repetir uma mesma palavra diversas vezes ( “like”, “for example”). Os assuntos podem ser diveeersos, mas estar preparado para falar sobre você pode te ajudar pelo menos na primeira parte (Você estuda?O que? Trabalha? Gosta do seu trabalho? Mora com seus pais? Como é a sua familia? E a sua cidade? Com certeza uma dessas perguntas será feita pra você).

O tempo total que você fica lá sofrendo fazendo o teste de reading, writing e listening é de 2 horas e 40 minutos, sem intervalos. a prova é feita toda a lápis, não precisa passar nada a caneta. Não pode levar nada de comidinhas, só uma garrafa de água. Se você precisar ir no banheiro você tem que ir durante uma das sessões e usar o seu tempo de prova. Geralmente a sessão de speaking não é realizada no mesmo dia ou na mesma hora das outras sessões. Eles te mandam um e-mail com todas as informações. Uma vez realizado o exame, o resultado sai 13 dias depois de concluído e no caso de não ter conseguido a nota necessária, você poderá repetir o exame a qualquer momento.

Custos do IELTS

Nós pagamos e fizemos o IELTS na Nova Zelândia, e o valor foi de NZD$385.  Recomendo que você de uma olhada no site oficial para saber saber as informações para o Brasil ou aonde você estiver. Existem mais de 900 centros que aplicam o IELTS pelo mundo. Para se registrar online você só precisa preencher um formulário e enviar uma cópia do seu RG ou passaporte.

Como se preparar para o IELTS

image1-40

Se você tem intenção de prestar esse exame, a nossa dica principal é você fazer (muitooos) simulados. Aprenda a estrutura e mecânica da prova, controle o tempo de acordo com o tempo oficial. Além disso faça uma imersão na língua inglesa: leia materiais, sites, blogs em inglês, assista vídeos no youtube, filmes e séries somente com legenda em inglês e de diversos sotaques.

Alguns sites e materiais online foram essenciais e nos proporcionaram dicas maravilhosas para o teste. Existem diversos canais no youtube mas o E2 Language e o IELTS LIZ nos deram dicas importantes de uma maneira simples e direta. Pelo site IELTS Exam você pode fazer o download gratuito de cada módulo da prova (nós fizemos TODOS os simulados desse site da parte de “reading”). O site oficial do IELTS também disponibiliza as provas para serem usadas de simulados. Além disso, eu me cadastrei no site IELTS MATERIAL e recebia diáriamente no meu email uma listinha de exercícios.

Como eu (Stella) estava me sentindo menos confiante especialmente para a sessão de writing, eu entrei em contato com o pessoal da HINT Linguistic Consulting. Eles são uma empresa do Brasil, porém conseguiram organizar todo o esquema de aulas pra mim através de skype. Eles foram super flexíveis tanto nos horários das aulas (o fuso horário BR-NZ não é fácil), quanto no conteúdo que foi totalmente personalizado para as minhas principais dificuldades.

Caso você tenha probleminhas em criar uma diciplina para estudar sozinho, existem diversas escolas aqui na Nova Zelândia que além de inglês geral oferecem cursos preparatórios para o IELTS. Então, antes de fechar a matrícula em uma escola de inglês, se a sua intenção é no futuro fazer uma graduação por aqui, ou está planejando imigrar para o país, a minha recomendação é que você procure saber se a escola oferece esses tipos de cursos preparatórios. (Você já sabe que eu posso te ajudar a encontrar esses cursos aqui na Nova Zelândia se você precisar, né? É só clicar aqui ).

No Brasil, além de professores particulares, também existem escolas que oferecem cursos específicos para certificados. Procure saber se a escola que você pretente estudar ou está estudando disponibiliza algum dos certificados (Internacionais e reconhecidos) e também a média de aprovação dos alunos. É importante e pode te ajudar nos seus planos futuros 🙂

Conhecendo Nárnia

Já fazia algum tempo que planejávamos uma visita a Coromandel. Estamos há mais de 1 ano aqui e sempre deixávamos pra outra data, já que era tão perto de Auckland (2 a 3h de estrada). Dessa vez, motivados pela visita especial do irmão da Stella, finalmente fomos conhecer Nárnia! Continue Lendo “Conhecendo Nárnia”

Summer Trips NZ: Waiheke Island

Voltamos com mais uma dica pra aproveitar esse verãozão (!?) aqui na Nova Zelândia! Dessa vez pegamos o Ferry e partimos pra conhecer a Waiheke Island, uma ilha localizada a 35 minutos de viagem por ferry de Auckland.

É possível pegar o ferry a partir do centro da cidade, mas se você estiver em North Shore vale a pena pegar o ferry a partir de Devonport. O preço da passagem é o mesmo, 36 dólares nz ida e volta, mas vale ficar ligado em sites como o GrabOne que costumam oferecer alguns tickets com desconto, principalmente fora de temporada.

Pois bem, pegamos a ferry de Devonport por volta das 9am. Chegando em Waiheke, pegamos um ônibus em direção a Onetangi Beach, uma praia um pouco mais afastada, mais tranquila e mais bonita do que a movimentada Oneroa Beach.

img_20170205_133156
Onetangi Beach

Passamos a manhã curtindo a praia e quando a fome bateu pegamos o ônibus de volta e paramos para comer no Frenchôt, uma creperia daquelas que só um local poderia nos recomendar, localizada em Surfdale. Apesar de cara, como quase tudo na ilha, provamos e aprovamos o crepe e o quiche sentados no aconchegante jardim do restaurante, tomamos uma cerveja e seguimos de volta para Oneroa, a região mais movimentada da ilha, com muitos comércios, bares e restaurantes.

DCIM101GOPRO
Entrada do Frenchôt
DCIM101GOPRO
Área externa

Caminhamos um pouco pelas lojinhas e paramos pra tomar o concorrido sorvete do Island Gelato. Seguimos em direção a praia de Oneroa, muito mais movimentada do que Onetangi, já que muitos barcos de passeio param ali na baía.

DCIM101GOPRO
Island Gelato Co.

Ao voltar para Matiatia Bay, de onde saem os ferrys de volta pra Auckland, paramos pra comer alguma coisa e tomar mais uma cerveja.

DCIM101GOPRO
Estrutura montada logo na chegada a Waiheke, onde termina a Sculpture Walk

Ainda deu tempo de fazer a famosa Sculpture Walk, uma exibição de esculturas a céu aberto, onde você literalmente caminha por 2 km por uma trilha contemplando vistas incríveis e esculturas que se misturam na natureza. Pra chegar no início da trilha é preciso pagar um transfer de ônibus no valor de 5 dólares nz e mais uma doação simbólica (não obrigatória) onde você ganha uma pulseira de borracha.

DCIM101GOPRO
Uma das esculturas da Sculpture Walk

Precisamos correr um pouco pra terminar a caminhada em cerca de 1 hora, já que o último ferry para Devonport sairia as 06:15pm.

DCIM101GOPRO
Última escultura do passeio

Voltamos para Auckland com a sensação de que ainda temos muito pra conhecer em Waiheke com por exemplo as inúmeras vinícolas da ilha. Possivelmente voltaremos com mais tempo, talvez para dormir uma noite na ilha, conhecer algumas vinícolas e outros cantos escondidos e, obviamente, contar tudo por aqui!

Summer Trips NZ: Omaha Beach

Omaha é uma cidadezinha praiana localizada a apenas de 1 hora de Auckland (74km). Destino popular de férias e final de semana dos kiwis, a praia é bem selvagem, longa, espaçosa, areia branquinha, mar calmo de água cristalina e muitas conchas.

Esse verão da Nova Zelândia tá demorando pra engrenar, mas timidamente os dias de sol e calor estão começando a dar as caras. E aí não tem como ficar parado com tantos lugares pra explorar perto de Auckland, então nos nossos dias de folga estamos sempre dando uma escapada pra conhecer um lugarzinho diferente. E por que não compartilhar as dicas das nossas Summer Trips aqui com vocês?!

Nosso primeiro destino foi Omaha Beach!

A praia é bem deserta e por aqui não existem ambulantes (#obrigadasenhor) ou barracas na praia, então se bater a fome, existem algumas lojinhas e um café na entrada principal da praia, mas nós sempre preferimos levar nossos snacks e bebidas.

Dica NMN: pela proximidade, nós recomendamos uma parada na vila de Matakana pra tomar um sorvete de frutas orgânicas feito na hora ou tomar uma cerveja em um dos pubs da vila.

E aí, curtiu o passeio?

Então fica ligado que vai ter muito mais!