Conhecendo Nárnia

Já fazia algum tempo que planejávamos uma visita a Coromandel. Estamos há mais de 1 ano aqui e sempre deixávamos pra outra data, já que era tão perto de Auckland (2 a 3h de estrada). Dessa vez, motivados pela visita especial do irmão da Stella, finalmente fomos conhecer Nárnia! Continue Lendo “Conhecendo Nárnia”

Summer Trips NZ: Waiheke Island

Voltamos com mais uma dica pra aproveitar esse verãozão (!?) aqui na Nova Zelândia! Dessa vez pegamos o Ferry e partimos pra conhecer a Waiheke Island, uma ilha localizada a 35 minutos de viagem por ferry de Auckland.

É possível pegar o ferry a partir do centro da cidade, mas se você estiver em North Shore vale a pena pegar o ferry a partir de Devonport. O preço da passagem é o mesmo, 36 dólares nz ida e volta, mas vale ficar ligado em sites como o GrabOne que costumam oferecer alguns tickets com desconto, principalmente fora de temporada.

Pois bem, pegamos a ferry de Devonport por volta das 9am. Chegando em Waiheke, pegamos um ônibus em direção a Onetangi Beach, uma praia um pouco mais afastada, mais tranquila e mais bonita do que a movimentada Oneroa Beach.

img_20170205_133156
Onetangi Beach

Passamos a manhã curtindo a praia e quando a fome bateu pegamos o ônibus de volta e paramos para comer no Frenchôt, uma creperia daquelas que só um local poderia nos recomendar, localizada em Surfdale. Apesar de cara, como quase tudo na ilha, provamos e aprovamos o crepe e o quiche sentados no aconchegante jardim do restaurante, tomamos uma cerveja e seguimos de volta para Oneroa, a região mais movimentada da ilha, com muitos comércios, bares e restaurantes.

DCIM101GOPRO
Entrada do Frenchôt
DCIM101GOPRO
Área externa

Caminhamos um pouco pelas lojinhas e paramos pra tomar o concorrido sorvete do Island Gelato. Seguimos em direção a praia de Oneroa, muito mais movimentada do que Onetangi, já que muitos barcos de passeio param ali na baía.

DCIM101GOPRO
Island Gelato Co.

Ao voltar para Matiatia Bay, de onde saem os ferrys de volta pra Auckland, paramos pra comer alguma coisa e tomar mais uma cerveja.

DCIM101GOPRO
Estrutura montada logo na chegada a Waiheke, onde termina a Sculpture Walk

Ainda deu tempo de fazer a famosa Sculpture Walk, uma exibição de esculturas a céu aberto, onde você literalmente caminha por 2 km por uma trilha contemplando vistas incríveis e esculturas que se misturam na natureza. Pra chegar no início da trilha é preciso pagar um transfer de ônibus no valor de 5 dólares nz e mais uma doação simbólica (não obrigatória) onde você ganha uma pulseira de borracha.

DCIM101GOPRO
Uma das esculturas da Sculpture Walk

Precisamos correr um pouco pra terminar a caminhada em cerca de 1 hora, já que o último ferry para Devonport sairia as 06:15pm.

DCIM101GOPRO
Última escultura do passeio

Voltamos para Auckland com a sensação de que ainda temos muito pra conhecer em Waiheke com por exemplo as inúmeras vinícolas da ilha. Possivelmente voltaremos com mais tempo, talvez para dormir uma noite na ilha, conhecer algumas vinícolas e outros cantos escondidos e, obviamente, contar tudo por aqui!

Summer Trips NZ: Omaha Beach

Omaha é uma cidadezinha praiana localizada a apenas de 1 hora de Auckland (74km). Destino popular de férias e final de semana dos kiwis, a praia é bem selvagem, longa, espaçosa, areia branquinha, mar calmo de água cristalina e muitas conchas.

Esse verão da Nova Zelândia tá demorando pra engrenar, mas timidamente os dias de sol e calor estão começando a dar as caras. E aí não tem como ficar parado com tantos lugares pra explorar perto de Auckland, então nos nossos dias de folga estamos sempre dando uma escapada pra conhecer um lugarzinho diferente. E por que não compartilhar as dicas das nossas Summer Trips aqui com vocês?!

Nosso primeiro destino foi Omaha Beach!

A praia é bem deserta e por aqui não existem ambulantes (#obrigadasenhor) ou barracas na praia, então se bater a fome, existem algumas lojinhas e um café na entrada principal da praia, mas nós sempre preferimos levar nossos snacks e bebidas.

Dica NMN: pela proximidade, nós recomendamos uma parada na vila de Matakana pra tomar um sorvete de frutas orgânicas feito na hora ou tomar uma cerveja em um dos pubs da vila.

E aí, curtiu o passeio?

Então fica ligado que vai ter muito mais!

Rotorua + Huka Falls em 2 dias

É verdade que ultimamente estamos bastante ocupados entre estudo, trabalho e aprender a viver em outro país. Mas isso não é motivo pra deixar de viajar, não é mesmo? Ainda mais estando num pais como a NZ, com tanta coisa pra ver!

E foi assim que decidimos ocupar os 2 únicos dias que tivemos livre em uma semana de férias da escola com uma viagem curtinha até Rotorua, passando por Blue Springs e dando uma esticadinha até Taupo pra ver a Huka Falls e o Lake Taupo.

Se voces acompanharam os últimos posts já sabem que escolhemos alugar um carro, apesar das várias opções de bus tour saindo de Auckland. De Auckland a Rotorua são 230km e cerca de 3h dirigindo por belas paisagens. A vantagem é a liberdade de escolher seus horários e roteiros, além de ser possível encontrar ótimos preços e dividir o valor do aluguel do carro (pagamos 60nzd por 2 dias). Caso vc não tenha carta, tenha medo de dirigir na mão inglesa, ou prefira um pacotão pronto, dá uma olhada nesses sites: Bookme, Mana Tours, Kiwi Experience e Naked Bus.

Blue Spring

Parada estratégica faltando 40km pra chegar em Rotorua. Em Putaruru, região de South Waikato está localizada a Blue Spring, uma fonte de água cristalina (não achei adjetivo melhor pra explicar o quanto a água é transparente), de onde saem aproximadamente 70% de toda água engarrafada da Nova Zelândia! O lugar é perfeito para uma parada, seja pra usar o banheiro do início da trilha, fazer um picnic ou até dar um mergulho caso esteja calor, por que não? Os mais dispostos e com mais tempo podem percorrer a trilha toda de 4.7km.

DCIM100GOPRO
Blue Spring

Rotorua

Chegamos em Rotorua por volta das 13h, passamos no Central Backpackers pra deixar as malas e saímos pra cheirar explorar a cidade. Antes paramos pra almoçar no Fat Dog Cafe & Bar (comida boa e preço nem tanto). Rotorua é bem pequena e tem um circuito turístico grátis bastante interessante pra explorar a pé.

maparotorua
Mapa com o roteiro que fizemos caminhando

Saindo do centro com um mapa na mão seguimos até o Kuirau Park, onde tivemos nosso primeiro contato mais próximo com o famoso cheiro de ovo podre característico de Rotorua. O parque é totalmente aberto e cheio de atividade geotermal dando aquele clima de filme de terror.

DCIM100GOPRO
Kuirau Park

Depois de passar pelo parque, caminhamos até Ohinemutu, uma vila maori real, com igreja, escola e pessoas reais morando, nada daquele teatro pra turista ver e pagar caro (não to dizendo que é ruim, mas que é caro é).

DCIM100GOPRO
Ohinemutu

Continuamos contornando o Lake Rotorua até chegarmos na Sulphur Bay, uma parte do lago com águas bem esbranquiçadas e um visual bem bonito (com direito até a um arco-íris e pássaros voando). A cor branca é resultado das partículas de enxofre (sulphur) misturadas na água do lado.

DCIM100GOPRO
Sulphur Bay

Terminamos nosso passeio no Government Gardens, já de volta ao centro da cidade.

DCIM100GOPRO
Government Gardens

Dica NMN: Toda quinta-feira rola um Night Market no centrinho da cidade. Música e comida boa do mundo todo (churros!) a um preço muito justo!

No dia seguinte acordamos cedo para explorar os lagos de Rotorua. Além do Lake Rotorua, existem vários outros lagos que valem a visita. Entre os mais conhecidos estão o Blue Lake, o Green Lake, Lake Okareka, e Lake Tarawera. Estar de carro facilitou bastante pois os lagos não são tão próximos da cidade. No caminho dos lagos também passamos pela Whakarewarewa Forest, ou The Redwoods como é conhecida, outro parque ecológico com trilhas e várias outras atrações.

DCIM100GOPRO
Blue Lake

Pra encerrar nosso tour em Rotorua, ainda pela manhã pegamos a estrada em direção a Taupo, mas antes paramos em uma das atrações mais famosas da cidade e a única que fizemos questão de pagar ($32.5), o Wai-O-Tapu. Trata-se de um parque geotermal incrível, cheio de crateras de água quente, poços de lama fervendo e geisers, originados por conta da intensa atividade vulcânica da região. A diversidade de cores dos lagos e a paisagem é algo realmente impressionante e te dá a sensação de estar num lugar único no mundo! Antes de entrar na parte paga do parque ainda é possível assistir um famoso geiser Lady Knox entrando em erupção diariamente as 10:15 am (a erupção é artificialmente provocada porém o efeito é real).

G0480600
Champagne Pool, Wai-O-Tapu
DCIM100GOPRO
Lady Knox Geyser

Huka Falls

Seguindo viagem para Taupo, pouco antes de entrar na cidade paramos para conhecer a famosa Huka Falls, conhecida por ter uma água “azul filtro do instagram”. Sério, parece que tem corante na água de tão azul que ela é! A queda em si é bem pequena mas o visual é fantástico. A Huka Falls fica bem na beira da estrada pra Taupo e o acesso é super fácil, então mesmo que você não tenha tempo pra fazer as trilhas vale a pena dar uma passada pra conhecer.

DCIM100GOPRO
Huka Falls.

Aproveitando que estávamos ali seguimos até Taupo para dar uma olhada no Lake Taupo, almoçamos por ali mesmo e pegamos a estrada de volta para Auckland. Cerca de 3h e meia e já estávamos de volta.

Custo da Viagem

Mas e aí, quanto será que custa uma viagem dessa? Aqui não tem segredo! Vamos as contas:

  • Aluguel do carro (2 dias): $60
  • Combustível: $70
  • Hostel (1 noite quarto duplo): $58
  • Ingresso Wai-O-Tapu (2 pessoas): $65
  • Alimentação: $71

Total: $324 (casal) muito bem pagos!

Se animou pra cair na estrada? Nós não vemos a hora de conseguir mais uma brechinha dessa no calendário!

Mais Fotos: